Maria Mora Alentejo

Maria Mora

Mora é planície, Alentejo, olhos de ver, de ouvir, de tocar, de sentir…O montado que escorre, a planície que escapa, água que fura…Mora é também lugar de vinha e de vinhos.

Mora são verdes campos, a torre com  relógio, as badaladas que nos cantam paciências e embalam cantilenas…Maria Mora é esse cantar mas também uma homenagem à mulher Alentejana, ampliada pela ilustração de Manuel Ribeiro de Pavia, pintor neo-realista do início do século XX. É aqui onde há coisa de séculos se produz bom vinho nas talhas que escondem a Touriga Nacional, o Alicante Bouschet, a Syrah, a Trincadeira, o Aragonez e até o Cabernet Sauvignon.

Mora exige demora para que a vinha, de encepamento tradicional e plantada em terreno essencialmente arenoso, nos possa dar tempo para recolher ensinamentos antigos e juntar-lhes a nossa irreverência, conferindo-lhe um perfil sóbrio e moderno. São esses os vinhos que aqui fazemos e aos quais demos o nome de Maria Mora e Flor de Maio.

Partilhar